Do nosso ponto de vista, cremos que a Guarda de Ferro foi um movimento mais religioso e militar que político, havendo que estudá-lo como tal, mais de um ponto de vista sociológico e antropológico-etnológico do que de um ponto de vista ideológico e político (…) a Guarda de Ferro esteve tão estreitamente vinculada às tradições romenas, que a investigação histórica que a queira estudar deverá ir a par com uma pesquisa histórica, religiosa e com tudo o mais que tal possa acarretar. - Franco Cardini - Mircea Eliade e a Guarda de Ferro constitui uma importante contribuição para a compreensão do itinerário intelectual do grande historiador das religiões, bem como para a história do Movimento Legionário nas suas relações com a cultura romena. Apoiando-se numa abundante documentação, o autor empenhou-se em reconstituir todo um quebra-cabeças, do qual sobressai que uma grande parte da produção teórica e romanesca de Eliade é indissociável do empenho do escritor, nos anos 30, a favor do movimento fundado e dirigido por Corneliu Zelea Codreanu. A competência de Claudio Mutti sobre este assunto é inquestionável. Falando fluentemente o romeno, traduziu para o italiano os principais textos da literatura legionária e escreveu vários livros sobre o fenómeno legionário e a influência de René Guénon na Roménia. A FACETA MENOS PROPAGADA DE MIRCEA ELIADE - Mircea Eliade (Bucareste, 13 de Março de 1907 Chicago, 22 de Abril de 1986) foi um historiador e romancista romeno naturalizado estadunidense. Foi um dos mais importantes e influentes historiadores e filósofo das religiões da contemporaneidade. Embora o seu trabalho académico nunca tenha estado subordinado às suas crenças políticas, este reflecte a escola de pensamento associada à Roménia do entre-guerras, bem como das obras de Julius Evola, tendo ligações temáticas comuns às do fascismo. O académico Marcel Tolcea tem defendido que, por intermédio da interpretação que Evola fez das obras de Guénon, Eliade manteve uma ligação notável às ideologias nacionalistas e que este transparece nas suas obras.Um artigo, datado dos anos 30, via Eliade retractar Julius Evola como sendo um grande intelectual e elogiar intelectuais tão polémicos como Oswald Spengler, Arthur de Gobineau, Houston Stewart Chamberlain e inclusive Alfred Rosenberg, ideólogo nazi. Evola, que continuou a defender os princípios do fascismo místico, na sua interpretação de Direita, chegou a protestar que Eliade pecava por não o citar a ele nem a Guénon. Eliade respondeu-lhe que os seus trabalhos se destinavam a um público mais amplo, que não os iniciados dos círculos esotéricos. No final dos anos 60 Eliade, bem como Evola e Rougier, entre outros intelectuais, deram o seu apoio ao GRECE - Groupement de Recherche et d'Études pour la Civilisation Européenne, parte da corrente intelectual que ficou conhecida pelo nome de Nova Direita.ACERCA DO AUTOR - Claudio Mutti (nascido em 1946) formado em filologia clássica, traduziu para o italiano obras de Plutarco, Aratos, Porfírio, do Imperador Juliano e de Salústio. Depois de ter desenvolvido actividade docente e de pesquisa no Instituto de Filologia Fino-Úgrico de Língua e Literatura Húngara da Universidade de Bolonha, cargo a que teve que renunciar em 1974. Mutti escreveu diversas obras relativas ao folclore da Europa central, estudando o conteúdo simbólico das tradições populares seguindo os passos das indicações fornecidas por René Guénon. No âmbito de um aprofundado interesse pela cultura da área carpático-danubiana, traduziu numerosos documentos e depoimentos relativos ao movimento legionário romeno e ao movimento das cruzes flechadas húngaro. Em particular, investigou as relações de Mircea Eliade, Emil Cioran e Constantin Noica com o Movimento Legionário; fez pesquisas aprofundadas acerca da influência exercida por René Guénon e Julius Evola nos países da Europa danubiana; deu a conhecer em Itália importantes escritores tradicionalistas tais como o romeno Vasile Lovinescu e o húngaro Béla Hamvas.Publicou uma vintena de livros e umas centenas de artigos em Itália, na Europa e alhures.

  • Formato: PDF
  • Protección: Adobe DRM
  • Limitaciones: Copiar y Pegar: Prohibido / Imprimir: Permitido
  • Editorial: ANTAGONISTA EDITORA
  • Paginas: 112
  • Edición: 2010
  • Idioma: Portugués
  • ISBN 9789898336163

Ultimos vistos

El blog de boutique

La imprenta mayúscula para primeros lectores

Acompañar el desarrollo de las competencias de un primer lector implica considerar especialmente los disti.. Seguir Leyendo
Desarrollado integral del sitio: TAP